sábado, 1 de dezembro de 2018

EMANOEL VIANA: SOCORRO COUTO

EMANOEL VIANA: SOCORRO COUTO: Filha Silvia Couto e Prima Socorro Couto                     Ou Socorrinho .                     Ou formal, Maria do Perpétuo ...

SOCORRO COUTO

Filha Silvia Couto e Prima Socorro Couto



                    Ou Socorrinho.

                    Ou formal, Maria do Perpétuo Lopes Couto, filha da prima Iracema. Na verdade, Iracema é prima legítima de meu Pai Manoel Viana, A gente se considera primo de Iracema e primo de Socorro.

                    Conheci, oficialmente,  Socorro na previdência social, no INPS, quando cheguei de Recife, depois de um Curso de Especialização à nível de Pós Graduação em Modernização Administrativa por conta do DASP. Aprovado em concurso público para Técnico de Administração (mais tarde virou Administrador), nível superior, assumi na Subsecretaria de Saúde, que tinha como Subsecretário um conterrâneo de Timon, médico João Bosco Barros Rego.

                    Ela era uma espécie de Assistente. A esposa de Bosco era Secretária, a Ieda. Fiquei por lá, mais tarde fui nomeado Assistente por imposição legal, tinha que ser um Administrador. Tudo bem.

                    Socorro era secretária, assistente, servente, confidente, companheira, enfim funcionária para ninguém botar defeito, vivia para aquilo. Tinha uma bunda linda, grande, desejável por todos, inclusive por mim.

                    Acho que, pela perda do cargo, Socorro foi para o HPD trabalhar por lá e nos perdemos. Perdemos o contacto. Porém, descobrimos, acho que através de minha Irmã Ada Viana, o parentesco. Nós seríamos primos. Falávamos de vez em quando. Mais tarde, não sei por que razão, contratei a filha dela, que chamava de minha Sobrinha e Afilhada, a Silvia Couto, como minha motorista na Assembléia Legislativa do Estado do Maranhão. Morena bonita, nova, bem feita de corpo, todo mundo desejava. Eu não me lembro de a ter desejado, acho que o parentesco me inibiu.

                    Não inibiu um cidadão que teve um relacionamento com ela, contra gosto meu, e teve uma filha, a Mariana. Mas, isso é outra história.

                    Continuamos a nos ver, nos encontrar. Ela passou a ter reuniões com minha mulher, a Lucia, das alunas do Santa Teresa. E Sílvia se aproximou de mim, devido a uma amizade que tive com uma Amiga dela, hoje proibida de ser, sequer, citada.

                    Pois bem, o tempo passa e a gente se perguntando, se encontrando. Doenças, mortes, alegrias, nascimentos, formaturas, operações, internações de Lucia, de Iracema. E a vida vai levando.

                    Enquanto isso, estreito amizade com Silvia, a Silvinha que deixa de ser Sobrinha e passa a ser minha Filha. Acho que devíamos formalizar isso, dar o meu nome no RG, Pai Afetivo. Vamos pensar.

                    Pois bem, essa conversa toda é para agradecer a Socorro Couto, enquanto viva. A gente só fala bem, só elogia alguém, depois de morto. Faço em vida.

                    Socorro sempre liga perguntando por “minha vidinha”, sua colega de escola a Lucia. Ou minha esposa. Se preocupa com a saúde, procura dar informações e ajuda como pode. Rezas, orações, conselhos. Visitas em Hospital, convites para sair. Tudo o que você gostaria de ter, em um Amigo, se encontra em Socorro Couto.

                    Agora, no passamento de minha Mãe Teresa, Socorro que não tem obrigação nenhuma, esteve presente. Compareceu ao Velório (eu não comuniquei oficialmente a ela o fato), ficou o tempo todo ou pelo menos saiu e eu não vi. Na Missa, foi uma das primeiras a chegar, também não vi sair, apesar de ter dado as condolências formais dela e da Família.

                    Por tudo isso, presto homenagem a Socorro Couto, filha de Iracema, neta do Bernardo, Mãe de Silvinha, nossa Filha, biológica dela e afetiva minha.

                      Ah...Socorro não está doente, nem tem doença incurável, goza de boa saúde.


                    Viva sempre Socorrinho. Deus a ilumine!


          Em 01.12.2018

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

EMANOEL VIANA: MINHA MÃE TERESA

EMANOEL VIANA: MINHA MÃE TERESA: Teresa Viana pensando Agora que a Senhora se foi, posso Advogar na área do crime? Brincadeira, Mãe. Quando se respeita, ...

MINHA MÃE TERESA




Teresa Viana pensando
Agora que a Senhora se foi, posso Advogar na área do crime?


Brincadeira, Mãe.

Quando se respeita, se respeita a presença e ausência, sempre. Ou sempre que possível.

Doeu.

Dor que a gente não sabe expressar, nem dizer, mas vou tentar. Quando houve o incidente com  a Francisca, imediatamente falei com Lucia e acertamos que a gente iria buscar a Senhora, tão logo tivesse condições de saúde.

Todo mundo diz, todo mundo sabe, e os fatos provam que o Idoso morre quando é retirado do habitat natural. O habitat estava impróprio para uso humano, aparentemente. Diversas vezes  o tentamos modificar, a Ada conseguiu mudar o piso, eu apenas fiz algumas pequenas ajudas, como conseguir que aceitasse as novas TV, hora ventilador e telefone. O Deque ajudou muito e sempre, apesar de sempre nervoso e a Senhora ficar sempre com medo de ele ter alguma coisa, algum treco.

A Senhora sempre me disse, respeite minha determinação. Quando não puder mais, me leve para a sua casa, junto com Lucia. E me disse, também, quando morrer, me joguem em qualquer lugar, com o Zé Preto, aqui em Timon, mas depois de muita insistência me disse que não queria ficar com o seu marido, o meu Pai, mas sim com a sua Mãe Mariquinha, minha Avó.

Não foi assim.
Rubenita (filha), Mamãe com a filha do filho do Carlos Filho (neto)
Os Irmãos mais velhos, Melquisedeque e Rubenita disseram que a Senhora sabia do local no cemitério em Teresina, há mais de 20 anos. Ficou no Cemitério da Ressureição, em um lugar bem fundo.

Respeitaram a sua vontade em relação à sua mortalha, guardada há mais de 30 anos. E colocaram, ao sepultar, o lenço no rosto. Não foi colocado no Velório, pressão social.
Houve a missa de corpo presente, e sua neta Ana Teresa falou. Bem que queria ter falado, mas Deque e Rube estavam muito emocionados.
Melquisedeque, Mamãe e Eu, Emanoel
Tinha até discurso preparado, acho que vou usar na Missa de Sétimo Dia que vai ser rezada aqui em São Luis. Vou convidar todos, parentes, aderentes, colegas e conhecidos.

Queria ter dito, e digo agora.

A Comendadora Teresa, Professora Leiga Teresa Viana, casou e viveu durante anos com o Rábula, Jornalista, Radialista, Politico, Escritor, Poeta Manoel Viana, Seu Manuca. Fiel, o mais importante, sustentou a Família durante alguns anos enquanto o Papai vivia nos CDI da vida, no Hospital Getúlio Vargas, tentando viver depois de atentado feito por parte inconformada com o ganho da causa pelo Dr. Manoel Viana, na área de família.

Dizem que o Papai tinha uma cruz, na palma da mão, de tantas vezes que recebeu extrema unção no Hospital. Mas, viveu, e viveu bem durante muitos anos.
Faleceu aqui, na presença dos Filhos, no UTI do Hospital Presidente Dutra. Fechamos os olhos dele, Eu, Chico e Ada.

Para quem não sabe, Mamãe foi cozinheira, costureira, macumbeira, enfim, fez todos os serviços para se manter e manter a família. Sem se prostituir. E fez a promessa, no leito do Papai, de deixar de usar roupas, sapatos altos, pintura, ficando apenas com uma sandália e um vestido preto. Fez uma promessa de viver Franciscana, de pobreza. E assim foi durante quase toda a vida.
Mamãe recebendo Nossa Senhora em casa...

Depois, com a liberação da Igreja, usou outros tipos de vestido, mas sempre uma réplica do vestido preto, com alguns tons mais claros, em casa. Na rua, continuou tudo igual.

Levava uma vida regrada, miserável mesmo, pela promessa, por viver só, por não ter tido um filho que se dispusesse a viver com ela, ou pelo fato de não querer ter a liberdade tolhida, não querer perturbar ou dar trabalho para ninguém.

Foi assim, durante anos. Visitas dos filhos de São Luís, de parentes, e da constante e permanente ação do Deque. Depois com a ajuda da Rubenita, para aonde foi depois do surto (?) e, de lá, para o hospital, de onde só saiu morta.

Incompetência médica, organismo debilitado, diagnóstico e tratamento errado, idade avançada, complicações naturais do organismo idoso, ou descanso determinado pelo Ser Superior, a levaram depois de alguns dias no Hospital.

No dia 24.11.2018, foi considerada morta. Fisicamente. E aí, houve o repouso.

Doeu, minha Mãe.

Dói.

O sistema social e familiar envolvem certas atitudes, e a gente, apesar de querer mudar, não pode, se conforma. E a Senhora, como filósofa, dizia: a gente vai o que pode, não o que quer.

Dito e feito.

Levou uma vida miserável, com sua independência e respeito.  Teve o carinho e assistência dos filhos, que poderia ter sido bem melhor, não fosse os impedimentos naturais e familiares, sem contar que havia o respeito pelas suas atitudes. Não queria reforma da casa, não queria luxo, não queria dar trabalho a ninguém, não queria incomodar, e queria o seu lugar.

Teve, sempre o respeito dos Filhos.
Não teve, talvez, uma assistência melhor. Queria que os filhos a tratassem melhor, mas não dizia como. Dizia que queria falar com fulano ou beltrano e não conseguia. Dizia que os filhos não deviam viajar para a visitar pois não tinha nada na Casa e as mulheres ou maridos deviam ter a assistência e que era perigoso a estrada, a viagem.

Respaldamos nisso, de maneira errada. Reconheço. Podia ter ligado todo dia para a Senhora, não de vez em quando, ou quando dava saudades. E a Senhora me dizia: Cacilda me liga toda noite.

Dói, machuca, aperta e não tem volta. O tempo não pára e nem volta.

Dói mas não tanto, quando se referia ao fato de a Tia Maria ser uma felizarda por tinha a Gracinha que se dedicava a Mãe. Gracinha é filha de Tia Maria e vive com ela, desde a morte do meu Tio e Sobrinho Benedito.

Sobrinho? É, mas isso é outra história.

Nós, os filhos, Bed, Emanoel, Chico, Ada, Deque e Rube, nunca pudemos ficar à disposição completa da Senhora, como sugerido no caso Gracinha versus Tia Maria. 

Cada um de nós, afirmo e tiro por mim, fez o melhor que pode. Ajudou no que pode, aliás, só com atitudes, nunca com dinheiro, pois apesar dos pesares, a Senhora nunca pediu um tostão para qualquer dos Filhos.

Pediu a parentes, em tempo idos, e foi negado, para tratar dos filhos. E a Senhora fez igual ao filme, guardou e nunca precisou de parentes.

Valeu, valeu o exemplo e a gente segue. Pelo menos eu tento.

Quero comunicar que vou fazer uma Missa de Sétimo Dia e tentar me desculpar com a Família da Senhora, a Tia Maria e suas Filhas. Todos, o José, o Afonso, o Celso, a Bela, a Luiza, a Cacilda, a Dadá, a Esmeralda, a Graça e a Gracinha. A doença e a morte da Senhora atritou alguns, houve alguns senões que devem ser esquecidos. Lembrados apenas como lembranças, se lembrados.

Acho que só.

Jogue-se flores no túmulo, esqueçam Teresa Alves de Castro Viana, ela não faz mais parte deste mundo. Passou  existir no mundo invisível e no mundo daqueles que gostam dela, a amam, a respeitam.

Ela está aqui, ao meu lado, como sempre esteve. E ficará comigo para sempre. A morte vai nos encontrar. Acredito em outro tipo de vida ou existência, não se justifica uma pessoa sair de sua casa, aos 18 anos, viver com o homem de o dobro da idade, com 12 filhos, parir ou gerar 6 filhos, viajar por cidades, se estabelecer, ter mil e uma atividades, ser rejeitada pelos enteados às vezes, não receber ajuda do cunhado, enfim, ter todo tipo de problema, mas formar, educar os 6 filhos, Rubenita em Direito, Melquisedeque em Direito, Ada em Medicina, Chico em Medicina, Emanoel em Administração, e Bed em Medicina e, ao morrer aos 98 anos,  deixar de existir sem levar o seu acervo espiritual?

Para que valeu a vida?

E o que aprendeu, o que ensinou? Suas ações, suas atividades, suas lembranças, seus amigos, tudo enfim, vai desaparecer na morte?

Não acredito.

Mamãe... eu tive oportunidade de dizer e demonstrar o meu Amor, valeu.. mas que dói, dói

Insuportável? Não... mas difícil, doído, magoado ... mas, agora depois de velho, com compreensão da vida... ao chega a ser conformação, a morte não se justifica, em qualquer situação...

Aqui eu vou de José Regis ... mas a gente não pode declamar, Mamãe não gosta de heresias, apesar de não ser beata, nem de palavrões ou ofensas...

Enfim, era o que tinha a dizer.

A benção Mãe?
Do Emanoelzinho....

Às 22 horas do dia 26.11.2018, na biblioteca da casa aonde ela queria estar quando não pudesse viver na sua casa da Aquiles Lisboa, em Timon.

domingo, 23 de setembro de 2018

EMANOEL VIANA: ELEIÇÕES 2018 - COISAS DE DOIDO

EMANOEL VIANA: ELEIÇÕES 2018 - COISAS DE DOIDO:                               2018, eleições gerais para Deputado Federal, Deputado Estadual, Senador, Governador e Presidente do Br...

ELEIÇÕES 2018 - COISAS DE DOIDO



                              2018, eleições gerais para Deputado Federal, Deputado Estadual, Senador, Governador e Presidente do Brasil. Tem candidatos para todo gosto e de todo tipo.
                    Para Presidente tem o Meireles, bancário de bancos americanos, aposentado, rico, doou para si mesmo 20 milhões para a campanha. Parece um solteirão ou viúvo que não tem nada a perder e falo o que bem entende. Acho que terá o voto dele, o PMDB o abandonou, bando de filhos da puta. Até o Temer, Sarney etc... sumiram.
                    Tem o Alvaro Dias, Senador, irmão do outro Senador Dias, nunca fizeram nada. Parece o Coringa, do filme Batman, visualmente. Nã o empolga, fecharam o olho dele, devia abrir os olhos e apoiar outro candidato.
                    Há um Cabo Aciolo, Daciolo, sei lá o nome. Doido?Sei lá, mas convicto. Não tem o voto dele.
                    Aparece, de novo, um tal Amoeto, acho que é assim. Esse nunca apareceu em lugar algum. Como é novo, quando ficar velho, a gente conhece.
                    Capitão com vice general. É o deputado Bolsonaro, se não ganhar no primeiro turno, perde para o poste do Lula. Doido? Sei lá, mas tem convicções, parece que resolveria os problemas de criminalidade no Brasil, o resto ficaria na mesma merda. Mas são 4 anos apenas, depois a gente escolhe um melhor.  A gang PT, PTB, PMDB e outros PCC da vida ficaram mais de 12 anos e não quebraram o País, a gente aguenta.
                    Há o Lula, preso, mas indicou um Poste Hadad, menino com ar de religioso, com a Manuela, aquela do Rio Grande do Sul, ex do Ministro de Justiça. Se conseguir ir para o segundo turno, é o presidente do Brasil nos próximos 4 anos ou sei lá quantos... aí eu já estarei morto.
                    O paulista Alkim está de volta, cercou-se de tantos partidos que terá que fazer 50 ministérios para retribuir o apoio de tantos partidos. Mas ninguém acredita nele. Imagine que tem comida por 1 real, o dobro que cobra o Flávio Dino no Maranhão. Em São Paulo é 1 real, no Maranhão é 2 reais.
                    Tem o paulista que se diz cearense Ciro Gomes, atualmente no partido do jornalista do Brizola que vai ser o que quiser no governo imaginário do dito cujo. A principal bandeira é tirar o nome dos endividados junto ao SPC e SERASA.
                    Acho que, finalmente, tem a Marina. Aquela que parece a vovó Dinossauro, não cheira nem fede. Vai ter o voto do Sabá, aquele suplente que passou 8 anos no Senado e não fez nada.
                    Terminou? Não... tem um rapaz chamado Boulos, já recebeu quase 5 milhões do Fundo Partidário, ele e a vice.Não sei o que veio fazer, podiam ter lançado aquele Potter, do Amazonas, aquele senador que grita mais que os crentes aqui da Igreja Batista do Calhau.
                    São esses os presidenciáveis. Acho que não esqueci ninguém. Ah... o Imayel, Emael, sei lá o nome. Todo vez se candidata, acho que gosta de aparecer. Apagado que não sei o nome certo.
                    Vamos então para a Campanha na TV. A gente liga e começa a diversão, gente de todo tipo, todas as cores, todo jeito. Começo me lembrando do Advogado Ademar Danilo, mas conhecido como Regueiro, é que toda hora a TV fala: chama Meireles, aí me lembro do Chama Maré. Aí vem o abra o olho do Alvaro Dias. O riso irônico do Ciro, o cansaço da Marina, a irresponsabilidade do Boulos, a maluquice do Daciolo, o salvador da pátria Messias Bolsonaro sem mensagem, sem tempo mas com votos. O Alkim com suas agressões e propostas, mas que não convence ninguém.
                    No Maranhão. A Roseana, o Flávio, o Zapata, o Olivio, a Roberto, ninguém mostra nada, não tem programa, não tem empolgação. Um monte de imagens, de palavras, sem ordenamento e sem convencer ninguém. A única coisa que se salvou foi a proposta de não mais apreender devedores do IPVA pela Roseana.  Ah... tem a Maura, do partido do capitão.
                    Aqui, minha neta cachorra diz que esqueci uma candidata a presidente ou governadora. Devo ter esquecido, mas não faz falta. É uma revolução do jornalista analista, esquecer os esquecidos. São dois candidatos para completar o circo, uma Vera  e um João Goulart Filho.
                    Tem um cidadão da farmácia, uma Ana do pau ou do gás, tem o Gentil babando de velho (é meu Amigo particular), tem o Bentivi voando, tem o Irmão do Jackson (Jackson vive todas eleições), o afilhado do Presidente da Camara, agora não se lembra dele, tem o desviador de recursos da UEMA e está solto, tem aquele que roubou o dinheiro do sogro e do Costa Rodrigues, tem uma mocinha que nunca fez nada como Vereadora, como Deputada mas quer ser senadora, tem um piauiense vereador/deputado estadual que fala mal de todos, tem um homem da vassoura e não é Janio Quadros, tem negra sem dentes, tem crente, tem doutor.... FIIM
                    Não é fim do texto, é um cidadão filho de um gago que registrou o nome do filho e o escrivão sacaneou registrando o som... coitado. Tem cadeirante, tem bahiano respondendo processos, tem policial, tem policial federal que devia estar cassado e expulso, tem policial que bate em mulher e está fazendo propaganda, tem irmãos que expediram 170 mil carteiras de marisqueiros e pescadores (a Luzia da novela Segundo Sol, recebeu a carteira dela) e vão ser eleitos, sem propaganda alguma.
                    Aí a gente começa a analisar. Vice governador chamado Ribinha que ninguém sabe quem é. Tem vice deputada que nunca fez nada na vida. Tem suplente que a gente sabe que vai assumir logo, é o filho ou é o filho do amigo. Um avião compra qualquer vaga, até eu vendia.
                    Tem casal candidato que deviam estar na cadeia por agiotagem e trambicagem. A deputada diz  que precisa estar na Assembleia para fazer o que o deputado não fez. O deputado quer ser federal. O Maranhão fica menor, diminui. Tem Pai e Filha, federal e estadual. Tem de tudo, e não tem nada.
                    Cafajeste, trambiqueiro, criminosos, irresponsáveis, traidores, infiéis, corruptos, todo tipo tem. Pena que a gente não possa dizer os nomes, nominar os filhos e filhas da puta.
                   
                    Falta seriedade, competência, honestidade, boas intenções, são poucos e não sabem aproveitar o tempo na TV e se misturam com gente que não presta. Pedem votos para governador, para senador. O TRE não deveria proibir? O tempo é do Deputados Federais e Estaduais, são os proporcionais, não deveria ser obrigado a ter propaganda dos Majoritários, Senador e Governador. Afinal, tem lei nesta merda de Estado?
                    Eleições 2018, coisas de doido.
                    Enfim, o importante neste mar de lama, é participar. Se você não se filiou, não se candidatou, só resta votar, escolha bem, anote o nome dos escolhidos e cobre deles. Não se acanhe e nem se envergonhe disso. Para Governador e Presidente há duas chances,  vote no primeiro turno em quem você gosta, acha que vai ganhar e seria o melhor para você e sua sociedade. No segundo turno, vote novamente nele, se tiver ido, caso contrário, escolha um menos pior. Simples assim.
                    Para os cargos proporcionais, deputado estadual e federal, vote em quem você conhece a vida ou acha que é honesto, trabalhador, competente, não se vende, não beija mão, é independente e vota de acordo com os anseios da comunidade.
                    Para Senador, majoritário, mas sem dois turnos, vote nos mais experientes, honestos, competentes e que possam representar o Estado. Não se vendam por cargos federais e  não estejam apenas querendo projeção. Se não tiver, vote nos mais experientes, podem ser ladrões, mas não envergonham o Estado. Afinal, ladrão já está virando currículo para todos os políticos.
                    Coisas de doido. Eu já escolhi os meus, no primeiro turno. Voto no deputado federal 9090, Gastão Vieira. Voto no deputado estadual 31.456 Henrique Pirrita. Voto no Senador 432, Sarney Filho. Voto no Senador 150, Edson Lobão. Voto no Governador 16, Zapata. Voto no Presidente 17, Bolsonaro.
                    No segundo turno devo mudar os votos majoritários.


                    Em 23.09.2018, sóbrio, sem dente.

sexta-feira, 8 de junho de 2018

EMANOEL VIANA: LEMBRANÇAS DE FLORES, HOJE TIMON - INFANCIA E ADO...

EMANOEL VIANA: LEMBRANÇAS DE FLORES, HOJE TIMON - INFANCIA E ADO...:                                            O que me traz lembranças?                       A calçada da avenida Getúlio Vargas, ...

LEMBRANÇAS DE FLORES, HOJE TIMON - INFANCIA E ADOLESCENCIA


                    


                     O que me traz lembranças?

                     A calçada da avenida Getúlio Vargas, a areia fria entre ela e a Igreja.

As pedras de rio depois da casa de Dona Herotildes até o Rio Parnaíba.

O pé de Pau Brasil detrás da Igreja de São José.

O Urubu Sapecado (Grupo Escolar Urbano Santos), ao lado da Igreja de São José.

As brincadeiras de pedaços de paus, espadas do talo da folha de carnaúba, protegida com tampas de lata de leite ninho.

Ou de talas de buriti.

Das caçadas com baladeiras.

As travessias de canoa.

A primeira calça comprida.

Os festejos de São José.

O apito da Usina desligando as luzes.

Acho que não há mais nenhuma, da primeira infância, salvo as ruins.

A perna quebrada do Irmão, socorrido por mim.

O meu afogamento, sem morte, no Rio Parnaíba mas com traumas e consequências até hoje.

A tentativa de morte do meu Pai, que não lembro, paguei totalmente, somente há alguns anos, consegui me lembrar como era a nossa casa, na avenida Getulio Vargas.

Aí vem as lembranças da Adolescência.

O furto de mangas no terreno do Coronel, na beira do Rio.

O Liceu Piauiense, as caminhadas para ir ao colégio, os exercícios de Educação Fisica, as aulas de canto, o curso de química, trabalhos manuais, latim, geografia e história, matemática.

O caldo de cana com pão ao lado do Liceu.

A vontade de ser aprovado nos primeiros lugares para ir para o Colégio Pedro II.

Os colegas Julio Cesar e João Henrique, hoje deputados federais.

A  maluca da Elvira Raulino.

O curso de cinema com o Climério Lima, na Praça Saraiva, no Colégio Diocesano.





sexta-feira, 6 de abril de 2018

EMANOEL VIANA: EU, A CAMINHO DE PEDRINHAS. OU, ATÉ AONDE VAI O SI...

EMANOEL VIANA: EU, A CAMINHO DE PEDRINHAS. OU, ATÉ AONDE VAI O SI...:   O considerado maior Jurista de todos os tempos, no Brasil, salvo melhor juízo, o Rui Barbosa dizia: “ De tanto ver triunfar as nuli...

EU, A CAMINHO DE PEDRINHAS. OU, ATÉ AONDE VAI O SISTEMA JUDICIÁRIO BRASILEIRO?




 O considerado maior Jurista de todos os tempos, no Brasil, salvo melhor juízo, o Rui Barbosa dizia: De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.” 


                        Terra, América do Sul, Brasil, estamos no ano de 2018, ano continuidade da chamada Operação Lava Jato, aonde há uma chamada Polícia Federal encarregada de crimes federais. Crimes Federais. Há uma Instituição Auxiliar da Justiça, um chamado Ministério Público Federal que tem a exclusividade de denunciar junto à Justiça, depois de receber os inquéritos policiais. Denunciar crimes federais junto à Justiça Federal. Há uma Justiça Federal em primeiro grau, um Tribunal Regional Federal em segundo grau, um Superior Tribunal de Justiça em terceiro grau e o Supremo Tribunal Federal em quarto grau.

                    Não se respeita as Leis, nem a Constituição, quer em primeiro, segundo, terceiro ou quarto grau. Tanto os coletadores, como os denunciadores, como os sentenciadores geralmente assinam o que lhes são colocados à frente, não examinam os fatos, circunstâncias, as provas. Se deixam levar pela opinião pública, gostam de holofotes, de mídia, e alguns gostam de propina, de corrupção, tem desvios de personalidade ou função. Todo mundo sabe disso, embora nunca se prove.

                    Pois bem, nesse clima, eu Advogo. Sou Advogado, formado em faculdade, com defesa de tese, registro na OAB/MA em 1988.

                    Comecei a Advogar depois de deixar de ser funcionário, cocursado, do Governo Federal do Brasil, lotado no Ministério da Previdência Social, com passagem pelo INPS, INAMPS, IAPAS, INSS, em diversos cargos técnicos e de chefia, chegando a substituir o Superintendente Regional, em alguns momentos.

                    Pois bem, procurado para resolver o cancelamento de dois benefícios concedidos irregularmente em Pinheiro por cidadãos apresentados pela minha Amiga Intima do INSS, então chefe no Seguro Social. Examinei os fatos, conversei com o casal e este me convenceu que houve induzimento a erro. Fui ao INSS, fizemos uma declaração dizendo do fato e não recorremos para manter.

                    Anos depois, o mesmo casal, me procurou dizendo que o tempo, agora (naquela ocasião) estava completo. Fiz o processo e dei entrada no INSS. Naquela época o cidadão ia ao nosso Escritório, assinada uma procuração e deixava seus documentos. A gente mandava um despachante levar tudo e aparecia apenas para dizer que era o responsável. Não havia processo digital. Tudo na informalidade ou na amizade.

                    O casal foi aposentado. Em seguida, após algum tempo. Houve cancelamento em virtude de falta de tempo. Fiquei revoltado, eles haviam, em auditoria, confundido tudo. Ingressei com Mandato de Segurança junto à Justiça Federal. Ganhamos, depois, cancelado no STJ em virtude de o tempo apresentado, de fato, estar incompleto, pois o casal não havia apresentado o documento que transformava o tempo comum, em especial.

                    Não desisti. Novamente  ingressei no INSS com todos os documentos, solicitando a aposentadoria do casal. Aposentaram. Ficaram recebendo durante 2 anos, quase 3. Aí o INSS cancelou, por fraude.

                    Fraude? Protestei, ingressei na Justiça Federal até com um Mandado de Segurança e uma Obrigação de Fazer para aposentar o casal. Mesmo antes de saber a razão.

                    Durante este período, sou convocado pela Policia Federal no Maranhão para ser interrogado. Fui, com minha Filha, prestei os esclarecimentos que o Delegado pediu (não me lembro o nome do dito cujo) e, no final, disse: “eu ia lhe indiciar, mas pelas informações e pelo conceito que o Senhor tem, não vou”.

                    Calado fiquei. Indiciado porquê?

                    Algum tempo depois, recebo intimação da Justiça Federal em dois processos, os acima ou abaixo, em que o Ministério Pùblico Federal me denunciava por Estelionato Previdenciário.

                    Estelionato Previdenciário?

                    Burrice, sacanagem, perseguição. Incompetência ou sei lá o motivo, talvez políticos. Fiz política em Timon, São Luis, grande Ilha e além de tantos outros municípios. Posso ter ofendido, descoberto, falado de roubos de parentes de delegados federais, de membros do ministério público federal, irmão, sogro, tio, primos, sei lá o quê.

                    O que dizia o processo? Em um exame acurado: nenhuma prova, nenhum indicio, nenhuma gravação, negativa textual de todos os envolvidos.

                    Qual o motivo do cancelamento por fraude dos processos? Aquela mesma Amiga, agora diretora do INSS, resolveu aposentar o casal, com um código 95. Para quem não sabe, seria por determinação judicial, ao invés do 42, aposentadoria por tempo de serviço.

                    E eu com isso?

                    E o casal com isso?

                    O crime seria estelionato previdenciário?

                    O Magistrado – meus assessores dizem que foram os assessores do Magistrado, vez que o Magistrado, este ou qualquer um, nunca leem a denúncia – recebeu a denúncia e ainda marcou o interrogatório, ao invés de mandar extinguir o processo, sem resolução de mérito, ou não receber a denúncia, devolvendo ao Ministério Público para fundamentar melhor, este, por sua vez, devolveria à Policia Federal para apresentar provas materiais do crime. Nada disso, recebeu, pronunciou, marcou o interrogatório e agora pede alegações finais.

                    O Código Penal Brasileiro faz diferença entre Estelionato e Inserção de Dados Falsos.

                    Se houve crime, foi a diretora do INSS, inserir dados falsos, naquele momento, pois o casal, depois, apresentou documentação novamente se encontra aposentado.

                    Repetindo, o casal, com os mesmos documentos, aposentaram-se. Apenas a Diretora para ser gentil, resolveu agilizar a aposentadoria, sem examinar a documentação e utilizou o código errado.

                    Ou, maldosamente.

                    Que diz o Código Penal Brasileiro: TITULO I, Crimes contra a Pessoa, Capítulo VI  - Do Estelionato e outras Fraudes. Artigo 171 – Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento.

                    Vejam bem, crimes contra pessoas, ainda que haja, uma corrente considerando que existe pessoa jurídica.

                    Induzindo alguém em erro? Quem foi induzido a erro? O INSS? A diretora? A diretora afirmou em depoimento que não houve crime, que o Advogado Emanoel Viana nunca lhe pediu nada ilegal.

                    Mas, os iluminados da Policia Federal enquadraram os meus Constituintes e a mim, como Advogado, no artigo 171, parágrafo terceiro. Estelionato Previdenciário.

                    Quanta ignorância.

                    No próprio Código Penal Brasileiro há outro TÍTULO XI, Crimes Praticados por Funcionário Público contra a Administração em Geral, Artigo 313-A – Inserir ou facilitar, o funcionário  autorizado, a inserção de dados falsos, alterar ou excluir indevidamente dados corretos nos sistemas informatizados ou bancos de dados da Administração Pública com o fim de obter vantagem indevida para si ou para outrem ou para causar dano.

                    Se houve crime, seria este. Proprio, somente um funcionário Público pode praticar. Eu não sou funcionário público, nem o casal de constituintes. É crime próprio, específico e não há aquela desculpa que podemos ser equiparados a funcionários públicos no crime, se este, específico, exige senha, autorização do serviço público.

                    Nem houve obtenção de vantagem indevida, nem os constituintes afirmaram pagamento, nem a diretora afirmou recebimento. A policia federal não comprovou nem provou nada. O ministério público nem perguntas fez no interrogatório, nem confrontou ... nada.

                    Nas alegações finais, o ministério público federal ratifica  inicial, com o mesmo erro.

                    Pergunto: e agora?

                    Contratei um Advogado Amigo, para pagamento depois, se exigir, o Dr. Fabio Abondanza, criminalista. Um desperdício de tempo, de papel, de saúde.

                    Agora, além de me preocupar com a saúde minha e de minha mulher (passei 4 dias na UTI, e 12 no hospital em março de 2018), tenho que me preocupar com processo kaftiano ou imbecil.

                    E tenho que me preocupar, muito, com a prisão do ex presidente Lula, com os atropelos da Constituição, com o recebimento do inquérito falho, com uma denúncia inepta, com uma pronúncia indevida, só tenho que esperar uma condenação imoral e ilegítima e ilegal.

                    Aviso: não fumo mais, não gosto de visitas. Rezem por mim, para que eu saia de Pedrinhas, ainda vivo.

                    E fica para a história, para os estudiosos, peguem cópia dos processos em lide, os dois, são mais de 600 páginas cada, copiem, discutam em salas de aulas, mostrem as alunos, aos Advogados como era a Justiça em 2018.



 


 



                    Abraços a todos, desabafei. Em 06.04.2018
EMANOEL BERNARDINO LOPES DE SOUSA VIANA
ADVOGADO OAB/MA 3.444
Ou simplesmente,
EMANOEL VIANA, O HOMEM QUE NÃO ENGANA!
Cidadão Brasileiro