quarta-feira, 27 de abril de 2011

segunda-feira, 25 de abril de 2011

RECADASTRAMENTO






Dra. Lúcia Fernanda e sua Mãe, Professora Maria Bastos, as "recadastradas"




                               Virou moda.

                              Quando um órgão é ineficiente, desorganizado, sem memória e quer aparecer, faz um tal de recadastramento. Assim é na Previdência Social com o recadastramento anual que faz com os velhinhos para ver se ainda estão vivos, pedem identidade, cepêef, comprovante de residência, grupo sanguíneo, tamanho do pênis ou vagina, declaração do imposto de renda e por aí vai.

                              A moda pega, o INSS também faz um tal de recadastramento, pede todos os documentos acima e ainda comprovante de conta bancária, cópia do cheque. É verdade, eu mesmo faço o tal de recadastramento. Ainda bem que os funcionários são honestos, caso contrário seria uma farra com os nossos dados... empréstimos, crimes, laranjal, empregos públicos etc...

                              Hoje, segunda feira, dia 25 de abril de 2011, minha mulher diz que quer carona até o INAMPS, Ministério da Saúde, sei lá o nome. Parece que é Núcleo de Representação Regional do Maranhão do Ministério da Saúde, nome pomposo. É um prédio no Parque do Bom Menino, que era do INSS e eu troquei com o Marival Lobão em tempos idos. Retifico: o INSS trocou com o INAMPS em tempos idos. É uma história para futuras postagens. Que nome!

                              Fomos cedo, ainda encontramos estacionamento na rua. Descemos, nos identificamos na Portaria e subimos ao terceiro andar. Na saída do elevador tem um cartaz, “pegar senha se for tratar de assuntos no departamento de pessoal (agora tem um outro apelido)”. Como não tinha ninguém, entramos. Gente sentada nas cadeiras, três pessoas, mais uma sendo atendida por uma única funcionária, uma senhora chamada Márcia, de cor morena.Como mulher tem seus atributos, mas como funcionária deixa a desejar, falta-lhe senso de camaradagem com os aposentados, não tem perfil de funcionária pública (deve estar ali enquanto passa em outro concurso) e mal educada. E, a mim, pareceu não muito inteligente.


                              Vamos lá. Não deu “bom dia” e nem respondeu ao “bom dia”; perguntou se havíamos pego a senha, explicamos que não pois não havia ninguém; acresceu que só com a senha o atendimento, mas fez a orientação. Mandou tirar cópia (Xerox) de todos os documentos, cepêefe, identidade, comprovante de residência, outros documentos e cópia da declaração do imposto de renda de 2011. Está aqui a falta de inteligência! Me irritei-me (fiquei com raiva duas vezes!), primeiro que havia um bruto cartaz dizendo “constitui crime de desacato ... aquele cartaz de desocupado e de marginal em ambientes desorganizados”, segundo que a declaração do imposto de renda é até o dia 29 de abril de 2011, estamos no dia 25 de abril de 2011, portanto se o recadastramento é hoje não há como se impor uma coisa que ainda não poderia estar feita.




                              Mesmo assim, lá vai eu, procurar uma máquina de xerox para copiar. Do Parque do Bom Menino fui parar na Rua do Passeio, procurando máquina de Xerox. O Ministério da Saúde ou a GEAP (Plano de Saúde do Servidor Público) não tem condições de colocar uma máquina à disposição dos funcionários? Não seria mais cômodo, mais decente, mais cidadão, a tiragem de cópias pelo próprio Ministério? E se o lascado do aposentado tiver vindo só com o dinheiro da passagem? Ou sozinho, com debilidade no andar? Ou só,quando deficiente de alguma coisa, tão comum ao aposentado?

                              Por que não vem a explicação completa, orientação toda, na própria convocação? Enumerar todos as cópias que seriam necessárias?Ou, finalmente, fazer uma coisa inteligente: mandar para o aposentado todos os documentos só para que ele comprove, ou seja, o cadastro do ano anterior para que o aposentado diga se houve alguma mudança, e só?

                              Ou ainda.... fazer pela internet, a gente entra na página da GEAP/Ministério da Saúde e faz a porra do recastramento? O plano GEAP não vale nada, é uma merda,  no Maranhão, mais ou menos no Piauí e dizem que funciona no Sul do País.




                              Pois bem, resolvi fazer uma reclamação ao responsável pelo Núcleo. Subi ao sexta andar e, sem nenhuma burocracia, fui muito bem atendido pela Representante do Ministério.Simpática, atenciosa, diligente e inteligente, me ouviu, concordou com muita coisa, discordou de outras e desci, aliviado.

                             
                         No terceiro andar, minha mulher ainda esperava vez de concluir os serviços, agora tinha duas funcionárias e um monte de aposentados, muitos em pé pois o número de cadeiras era insuficiente. Fui lá perguntar o nome da atendente e disse meu nome. Desci, paguei o guardador/flanelinha e minha mulher foi para a GEAP levar os documentos do recadastramento. Pode?

                              Para quem não entendeu.

                              




                     O funcionário aposentado do serviço público federal, leia-se ministério da saúde é obrigado a sair de casa, se locomover até o centro da cidade de São Luís, independente onde more no Maranhão, fazer o seu recadastramento e depois do crivo do tal ministério, levar a documentação ao bairro do São Francisco/Renascença para entregar e aí para a ter raiva do não atendimento dos hospitais pela GEAP que pediu o recadastramento. Entendeu?

                              É uma vergonha, diria Boris. É uma pôrra, diz Toninho Dino. É uma merda, digo eu.

                              Deviam, Dona Márcia e todos os funcionários públicos, ler, entender, seguir, divulgar, colocar nas paredes, o que determina o Decreto 1.171, de 22 de junho de 1994 (Código de Ética do Servidor Público).

                              Colocar no lugar do infecto desacato: Inciso IX – a a cortesia, a boa vontade, o cuidado e o tempo dedicados ao serviço público caracterizam o esforço pela disciplina. Tratar mal uma pessoa que paga seus tributos direta ou indiretamente significa causar-lhe dano moral”.

                              Ou o Inciso X – Deixar o servidor público qualquer pessoa à espera de solução que compete ao setor em que exerça suas funções, permitindo a formação de longas filas ou qualquer outra espécie de atraso na prestação do serviço, não caracteriza apenas atitude contra a ética ou ato de desumanidade, mas principalmente grave dano moral aos usuários dos serviços públicos.

                              Ou ainda, o artigo 116 da Lei 8112/90, SÃO DEVERES DO SERVIDOR, inciso V –atender com presteza, letra a: ao público em geral, prestando as informações requeridas, ressalvadas as protegidas por sigilo; inciso IX – manter conduta compatível com a moralidade administrativa e inciso  XI – tratar com urbanidade as pessoas.

                              Fim da história, o recadastramento só vale até o dia 30 de agosto de 2011. Em setembro, tem novamente. Estamos no Brasil, no Estado do Maranhão, o governo é dirigida por uma Economista chamada Dilma Roussef (do PT) e o Ministério da Saúde pelo médico Alexandre Padilha (do PT), e a GEAP/MARANHÃO é dirigida pela Assistente Social Maria da Graça Fontoura (qual o partido?).

                              Haja Deus...
                             
                                       

quinta-feira, 21 de abril de 2011

EMANOEL VIANA: E AGORA?

EMANOEL VIANA: E AGORA?: "A minha mulher chega e diz: vamos sair? Vamos... para onde? Pergunto... qualquer lugar. Vamos dançar tango na Argentina e na volta passa pel..."

E AGORA?

A minha mulher chega e diz: vamos sair? Vamos... para onde? Pergunto... qualquer lugar. Vamos dançar tango na Argentina e na volta passa pelo Rio para ver a Aninha e as meninas, além do Henrique. Aproveita e vê teus parentes, Darcy e filha, além da Tia Bibi. Gostei, manda arrumar as malas.

                              Pego os passaportes, o cartão internacional, remédios, guias e vamos. Espera aí.... mas o Aeroporto está com problemas, o terminal está em obras, caiu de Aeroporto Internacional Cunha Machado para Terminal Aeroportuário do Tirirical. Está chovendo, a gente vai se molhar, as pistas estão molhadas, só tem tenda, além do mais a avenida dos franceses é só buraco. Buenos Aires está com surto de febre amarela e de gripe e o Brasil ainda não começou a vacina dos Idosos.

                              Deixa para lá.

                              Vamos para Timon. Gostei. Por avião a gente não pode ir, além do mais os horários são de madrugada. Vamos de ônibus leito. Só tem meio dia e param em todo lugar, há engarrafamento no Campo de Perizes, buraco na BR 135, acidentes no trecho Caxias-Timon, São Luis Bacabeira, além da possibilidade de assalto na Estrada.

                              A gente vai na caminhoneta. Pára em qualquer lugar, encosta em Itapecuru para ver o primo Jamil Mubarack e sua esposa Maud (pronuncia-se como em francês: môude). Mas, o excesso de velocidade nas retas? Os protestos na estrada, os acidentes, o engarrafamento?

                              Desiste.

                              Vamos ao Centro, de táxi, pois não tem estacionamento. Certo, vamos à Biblioteca ler meus artigos antigos que não transformei em livro e não os tenho mais, digo eu. Ela diz: vamos ver quando o Pergentino Holanda nos divulgava, quando frequentava o apartamento do Caiçara. Vamos à Biblioteca Benedito Leite. Certo. Não, diz a minha filha Maria Fernanda, está fechada para reforma há mais de ano...
                              Vamos à Praia.

                              Qual? A do Calhau, aqui embaixo, afinal a gente mora no Quintas do Calhau. A pé? Tem assalto ou carro passa por cima da gente. Vamos de bugre. A gente paga estacionamento e não roubam, quem vai roubar bugre? Certo. Biquini, água, remédio, documento, dinheiro em espécie, óculos escuros, sacola. Espera aí, não tem um negócio de balneabilidade? Todas as praias em São Luís tem sujeiras (cocô) além de estarem impróprias para banho.

                              A gente fica na Barraca. Fazendo o quê? Comer camarão, estás alérgica, comer caranguejo com aquele preço, nem pensar, não pago ladrão, mesmo tendo dinheiro... o preço da cerveja está mais alto que o monte everest, e mais quente que casal em lua de mel e Maria Fernanda gosta de ostras frescas que aqui, no Calhau, nunca tem. Então? Não vamos.

                              Vamos almoçar.

                              Feito, aonde? Em local que a gente veja gente e seja vista. Feijão de Corda? Tem filas. Churrascaria Pavan, a gente vai a pé e o Jair é boa praça, além de bom vizinho... mas tem filas, tem que ficar esperando... no Varanda da Castelo? ...não existe mais, como não tem mais o Vila Rica, o Quatro Rodas, a Base do Rabelo do Cemitério, o Catulé, o Bahiano...ah, tem a Cabana do Sol, daquele cidadão que conheci em Imperatriz quando das fiscalizações da Previdencia Social, o Régis, dono do Boi na Brasa... será que ele se lembra? Não, lá tem fila, paga-se estacionamento e a comida é péssima.

                              A gente bota a mesa no terraço da Ada Viana (terraço feito em homenagem a minha irmã) e a gente come, ouve música, toma banho no chuveirão e toma de banho de sol no gramado, na cadeira de piscina... bom programa, mas o barulho da reforma da Igreja Batista? O barulho da AMPEM? A zoada do carro do som da LOCALIZA SEMINOVOS? O mosquito da dengue que vem dos terrenos ao lado, com lixo de todo mundo? Podem ser que subam no poste e nos assalte, afinal estamos no período de indulto (período que os presos saem para passear)...é, vamos ver televisão.

                    Televisão comum. 

                    A TVN (televisão à cabo) está com problemas, congelando e só na sala está aparecendo legendas, nos demais pontos há mais de seis meses que reclamo e eles dizem que não tem caixinhas novas, só usadas, para substituir..( a Maria Fernanda - Advogada OAB/MA 6.215 - quer processar e pedir indenização, eu é que não deixo).... a gente fica na sala, cada um em sua poltrona.

                    A energia está piscando. Melhor desligar, vai terminar queimando e vai faltar energia. Sempre falta, há mais de 5 anos que tem falta de energia e não adianta reclamar para a CEMAR, EQUATORIAL, aquela lá dos Estados Unidos, como é o nome? Ou ligar 116. E olha que somos vizinho de Nerine Lobão, irmã do Ministro de Minas e Energia, o Edison Lobão.

                    A gente podia ir ao Cemitério, ver os amigos e parentes.




                    Vamos de táxi, mas mesmo assim, é dose, engarrafamento do retorno do Shopping do Automovel, no retorno do Quatro Rodas, no retorno da Policia Militar, confusão em frente à OAB/Secretaria de Saúde/Fórum, batidas na ponte Bandeira Tribuzzi, buracos na Camboa... é melhor acender uma vela em casa.. tem fósforos?

                    E agora? São Luís do Maranhão, ano 2011, Prefeito de São Luís: João Castelo (PSDB), Governador do Maranhão: Roseana Sarney (PMDB), Presidente da República do Brasil: Dilma Roussef (PT)..

sexta-feira, 15 de abril de 2011

EMANOEL VIANA: O TAXISTA LADRÃO DE PERITORÓ OU COMO PERDI O ÔNIBU...

EMANOEL VIANA: O TAXISTA LADRÃO DE PERITORÓ OU COMO PERDI O ÔNIBU...: "Sexta-Feira, dia 08 de abril de 2010, resolvo ir ver minha Mãe, Comendadora Teresa Viana, em Timon.Vou até a Rodoviária e compro a pas..."

EMANOEL VIANA: ...SE A MODA PEGA....

EMANOEL VIANA: ...SE A MODA PEGA....: "Veiculada em 14/04/2011 às 13:57 Estado terá que indenizar vítima de golpe aplicado por promotor de justiça O Estado do Ma..."

...SE A MODA PEGA....










Veiculada em 14/04/2011 às 13:57
Estado terá que indenizar vítima de golpe aplicado por promotor de justiça 

O Estado do Maranhão terá que pagar R$ 65 mil, por danos morais, e R$ 40 mil, por danos materiais, a um construtor que sofreu um golpe de estelionato atribuído ao promotor de justiça Ricardo Henrique de Almeida, quando este atuava na 3ª Promotoria de Investigação Criminal, de São Luís.

O fato aconteceu em 2001, quando a vítima vendeu uma casa de R$ 45 mil, mas não recebeu o valor do comprador. Suspeitando de golpe, procurou a 3ª Promotoria, sendo atendido pelo promotor Ricardo de Almeida, que abriu investigação sobre o caso.

Posteriormente, o promotor teria proposto permuta ao vendedor, dizendo-se interessado no imóvel, e que ficaria com a casa. Em troca entregaria um sítio no valor de R$ 15 mil, e pagaria os R$ 30 mil restantes.

O vendedor informou no processo que o sítio teria sido doado a uma Fundação em nome do pai do promotor, possuindo cerca de R$ 7 mil em dívidas. Quanto ao valor restante, teria sido apropriado indevidamente pelo promotor, que o recebera do comprador original.

A Corregedoria Geral do Ministério Público abriu processo administrativo contra o acusado, tendo-o afastado liminarmente, constando do relatório final da comissão processante a prática de crimes como estelionato, apropriação indébita, fraude de documento público e extorsão. O promotor e outros envolvidos no caso respondem ação penal perante o TJMA.

RESPONSABILIDADE – O Estado do Maranhão recorreu, alegando que a responsabilidade pelo crime não seria do ente público, mas do próprio promotor de justiça, que foi o causador do ato ilícito.

A relatora, desembargadora Raimunda Bezerra, votou pela manutenção da sentença do juiz Francisco Soares Reis Junior (convocado para a 1ª Vara da Fazenda Pública), que condenou o Estado em R$ 130 mil por danos morais, além de R$ 40 mil por danos materiais, entendendo que o ente é responsável pelos atos lesivos causados por seus agentes.

Os desembargadores da 2ª Câmara Cível, Jorge Rachid e Marcelo Carvalho, no entanto, decidiram diminuir o valor do dano moral para R$ 65 mil, acompanhando a relatora no restante da decisão.
Juliana Mendes
Assessoria de Comunicação do TJMA
(asscom@tjma.jus.br)
(98) 2106 9070 

terça-feira, 12 de abril de 2011

EMANOEL VIANA: O TAXISTA LADRÃO DE PERITORÓ OU COMO PERDI O ÔNIBU...

EMANOEL VIANA: O TAXISTA LADRÃO DE PERITORÓ OU COMO PERDI O ÔNIBU...: "Sexta-Feira, dia 08 de abril de 2010, resolvo ir ver minha Mãe, Comendadora Teresa Viana, em Timon.Vou até a Rodoviária e compro a pas..."

O TAXISTA LADRÃO DE PERITORÓ OU COMO PERDI O ÔNIBUS







Sexta-Feira, dia 08 de abril de 2010, resolvo ir ver minha Mãe, Comendadora Teresa Viana, em Timon.Vou até a Rodoviária e compro a passagem no chamado expresso Guanabara, ônibus leito, poltrona 27, por 80 reais, para meio dia e trinta horas. Na hora, embarco. O motorista Ovídio, senhor de mais de 40 anos, se apresenta e diz que será o condutor até Teresina e que só haverá uma parada de 15 minutos em Peritoró.

                            Fomos. O Ovídio não parou em lugar nenhum e por volta das quatro, quatro e trinta, chegamos. No ônibus sómente umas oito pessoas. Descemos. Fui à Farmácia. Quando voltei, que é feito do ônibus?

                            Sumiu.

                            Preocupado com o material que estava na pasta e sacola de computador, perguntei qual o taxista – dos que lá estavam – era bom de volante. Veio um baixinho, em um celta verde e me disse: pode deixar. Cobro 4 reais por quilômetros. Disse-lhe, esquece o dinheiro e vamos. Fomos. E nada de ônibus, encontramos somente um parecido, vindo.

                            Cheguei no quilômetro 17 e não encontrei o ônibus. Perguntei ao representante da Guanabara e ele me disse que o ônibus havia voltado para me apanhar e que não havia chegado ainda.

                            Tirei uma nota de 50 para pagar e o ladrão me disse que a corrida comum era 80. Paguei 100 reais por uma corrida que, normalmente, é 40 reais. Eis o ladrão de Peritoró, que se arrebente em um poste no meio da estrada (não há poste! Então a praga não pega..).

                           A minha sugestão é que se conte o número de passageiros antes de sair. Uma sugestão à Guanabara. Tenho outras.
                            

sábado, 2 de abril de 2011

EMANOEL VIANA: FALSA LÓGICA

EMANOEL VIANA: FALSA LÓGICA: " &..."

FALSA LÓGICA








                                                FALSA LÓGICA.

 

                              Quando estudei Lógica, como matéria em curso de graduação, havia um professor que falava em premissas e tese; falava também em falsa premissa e lógica absurda; dizia: premissa um: todo homem é um animal; premissa dois: jumento é um animal; lógica falsa ou tese absurda: todo homem é um jumento.

                              Lembrei disso ao ouvir que alguns imbecis, travestidos de parlamentares, tanto municipais, como estaduais e federais, se predispõem a criar novos municípios em todo o Brasil. Fico no Maranhão.

                              Vamos lá:

                              O país Estônia tem uma área de 45.227 km2, população de 1,3 milhão e possui 15 condados (ou Estados).

                              O país São Tomé e Príncipe tem 1.001 km2, população de 161 mil, tem 2 Estados (ou Ilhas) e 7 Municipios (ou Distritos).

                              O país Seicheles tem uma área de 455 km2, população de 86 mil, tem 23 Municipios (ou Distritos).

                              O país Síria tem uma área de 185.180 km2, população de 21,9 milhão e 14 Distritos ou Estados ou Municípios.

                              O país Fiji tem uma área de 18.272 km2, população de 800 mil e 4 Estados (ou Divisões) e 1 Dependencia (ou Município).

                              O país Holanda tem uma área de 41.528 km2, população de 16,6 milhão, 12 Estados (ou Províncias).

                              O país Líbano tem uma área de 10.400 km2, população de 4,2 milhão, 6 Estados (ou Governadorias).

                              O país Haiti tem uma área de 27.700 km2, população de 10 milhões, 10 Estados (ou Departamentos divididos em Distritos e Comunas).


                              Somemos as áreas: 45.227+1.001+455+185.180+18.272+41.528+10.400+27.700  que é igual a 329.763 km2.

                              O Estado do Maranhão, do País Brasil, tem 331.935,5 km2, portanto abrigaria 7 (sete) Países.

                              Por que não transformar o Maranhão em 7 novos Países? A gente teria sete presidentes, sete vice presidentes, sete sede de governo federal, sete supremo federal, sete superior de justiça, sete tribunal federal de recursos, sete tribunal superior eleitoral, sete conselho nacional de justiça, sete conselho superior do ministério público, sete congresso nacional, sete câmara de deputados federais, sete senados, sete banco central... nossa, emprego saindo pelo ladrão.

                              Não, querem fatiar a pobreza, querem dividir o Maranhão dizendo que outros Estados tem mais Municípios. Um imbecil chegou a dizer, em programa de rádio (só podia ser AM) endossado pelo outro imbecil, o apreentador, que nos Estados Unidos havia 34 mil Municípios.

                              Tive o cuidado de pesquisar quantos Estados tem os Estados Unidos da América. Tem 50. Quantos Municípios? Incluindo Porto Rico  tem 259 Municipios ou Cidades. Se essas cidades se dividem em distritos – confundidos com Municípios – é somente para efeito do sistema eleitoral ali vigente.

                              E faça as contas: a área dos EUA é de 9.372.614 km2 que divididos por 259 Cidades, fica uma área de 36.187,69 Km2 cada uma.

                              A mesma divisão: o Maranhão tem 331.935,5 km2 que divididos pelos 217 Municipios, fica com uma área de 1.529,6 km2 cada uma.

                              Quer mais?

                              Poderia dizer que área territorial não é nada, o que interessa é população. É?

                              Densidade populacional, ou seja, quer que tenha mais gente por metro quadrado.

                              Quer pouco ou quer muito?

                              A Líbia tem 1.759.540 km2 e tem 6,4 milhões de habitantes. Contas feitas: 0,27 km2 por habitante.

                              O Maranhão tem 331.935,5 km2 e uma população de 6,5 milhões. Contas feitas: 0,05 km2 por habitante.


                              Ou seja, a Líbia tem 5 (cinco) vezes o território do Maranhão e tem menos habitantes. O Kadafi quer mais Municípios?

                              A China tem 9.572.900 km2 e uma população de 1.346 bilhão. Contas feitas: 0,007km2 por habitante.

                              A China quer mais Municípios?

                              Maranhão: 0,05 km2 por habitante. China 0,007 km2 por habitante.

                              Cansei.

                             Os idiotas antes de regulamentarem uma Lei sobre criação, desmembramento, fusão sobre Municípios deveriam utilizar, primeiro da Ciência Estatística, depois do Bom Senso.

                              Fico por aqui esperando não ver fatiarem mais uma vez a Upoan-açu que de deveria ser somente uma, com um Administrador sério, competente, inteligente ao ponto de dividir a Ilha em várias subprefeituras, e não esse merda que está com São José de Ribamar, Raposa, Paço do Lumiar, São Luís e outros que vieram no estado que se encontram.

                              Cansei. Ah... todos os dados são encontrados no Almanaque Abril 2010 e nos sites de busca da Internet (google e outros).