terça-feira, 30 de setembro de 2014

EITA PORRA! Ou a formatura do meu Sobrinho Xará....






Pois bem.



Normalmente não posso sair à tarde de casa pois não tem empregados, e minha Mulher não pode ficar só. Mas, no mes de setembro, em virtude das férias da titular Malu, veio a antiga empregada Nazaré quebrar o galho. Idosa, dorme conosco, no antigo quarto de empregada.


Por volta das 16.30 horas recebo uma mensagem e leio. Diz: Tio sou eu, Emanoel. Ligo, ele me diz que é o dia da Formatura - me convidou no começo do ano para ser Padrinho - e que seria as 17 horas. Voando visto o primeiro terno, passo na Extrafarma, tiro dinheiro no Banco 24 horas e desço para o tal bufet Estrutura na Rua do Aririzal.

No meio da rua, acreditem, residencias de um lado e do outro, e em frente, tem um posto de gasolina. Pergunto pela a Estrutura e o funcionário manda seguir em frente. Olhando vejo um salão com o nome de strutura, sem o E. Páro o carro encima da calçada e atravesso a rua. O vigilante, porteiro, diz que tem um estacionamento na mesmo rua, mais embaixo. Vou lá, uma esculhambação, construção, academia, nossa. Volto e estaciono na vaga dos visitantes de um dos muitos Condomínios e vou andando.

Por volta das 17.30 o meu Sobrinho Emanoel chega, com sua Esposa e sua filha, mocinha bonita, jovem e que desperta instintos outros. Não em mim.

Aí, no salão, começa a chegar gente.

Chega gente, chega gente. 

Resolvemos sair para tomar um suco, ao lado, em uma lanchonete. Depois de tomarmos, voltamos, aí cheio demais.

Ficamos conversando até melhorar. Quanto entramos, já havia entrado a sua turma. Ficou ao lado de sua turma e eu, em pé, fiquei no meio do salão, no tapete vermelho.

De um lado, os formandos... do outro, os convidados, um monte de mal educados.

Passei 2 horas em pé, e com mais de 60 anos, não apareceu um filho da puta que oferecesse uma cadeira. Na mesa havia 3 cadeiras vazias, quase que ia lá e me apresentava como Deputado Constituinte, portanto representando o Legislativo. Também ninguém da mesa se pronunciou, se estivesse dirigindo e vendo um velho no tapete vermelho, teria mandado um emissário e uma das cadeiras. 

Tudo bem.

Juramento da primeira turma até a quinta turma. Cinco juramentos. Depois, grau para cinco turmas. Depois, discurso de cinco oradores. Calor, flash, confusão, e eu em pé.

Discurso do Professor representante da Reitora da Universidade que, pelo nome, deve ficar em Goiás. 

E deve ser reconhecida pelo MEC, tomara.

É reconhecido pelo MEC os cursos da TV, digo, da Universidade Anhaguera?

Depois de tudo, o encerramento.

O professor diz, está encerrado, pronto.
Foi a formatura.

Salão pequeno, poucas cadeiras, sem água, sem café, sem médico, sem ventilação, calorento com os ar condicionado.

Estacionamento uma merda.

A Rua Aririzal se devia chamar de Xirizal, é uma buceta, carros de um lado e do outro. Calçadas quebradas e de todo tamanho. Comércio misturado com Condomínios, com posto de gasolina e construções.

Puta de que pariu.

Essa foi a formatura do meu Sobrinho Emanoel Viana.




2 comentários:

Max Rosa disse...

Falta de respeito para todos os lados. Que cidade e essa? Pombas!

Mafebavi disse...

Isso porque o sr não foi na colação de grau da minha formatura no Ceuma. Fiquei com ciúmes.